Resenha: Maresi

by - 15:05


Maresi é uma obra de ficção que aborda a união entre mulheres reclusas na Abadia Vermelha, um lugar voltado para o conhecimento e desenvolvimento de suas noviças. É uma leitura que preza pela representatividade, sem lançar mão de mensagens óbvias ou militância explícita. É um livro que traz a temática feminista para novos leitores como uma boa ficção faz: de maneira envolvente, encantadora e apaixonante.

Conheça a história das Crônicas da Abadia Vermelha com a resenha de Maresi !

"Uma história sobre amizade e sobrevivência, magia e encantamento, beleza e terror.
Maresi chegou à Abadia Vermelha quando tinha 13 anos, durante o Inverno da Fome. Antes disso, só ouvira rumores e fábulas sobre o lugar. Em um mundo onde garotas são proibidas de estudar ou seguir seus próprios sonhos, uma ilha habitada apenas por mulheres soava como uma fantasia incrível. Agora Maresi vive ali e sabe que é real. Ela está segura.
Tudo muda quando Jai, com seus cabelos emaranhados, cicatrizes e roupas sujas, chega em um navio. Ela fugia da crueldade e dos perigos escondidos em sua terra natal – mas os homens que a perseguem não vão parar por nada, até encontrá-la.
Agora as mulheres e meninas da Abadia Vermelha terão que usar seus poderes e conhecimento ancestral para combater as forças que desejam destruí-las. E Maresi, assombrada por seus próprios pesadelos, deve confrontar seus mais profundos e terríveis medos."


FICHA TÉCNICA


Título: Maresi
Autora: Maria Turtschaninoff
Ano: 2018
Páginas: 200
Idioma: Português
Editora: Morro Branco
Nota: 4,5/5 
CompreAmazon
Comprando por esse link você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza
LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA



Maresi conta a história de uma Abadia inteiramente feminina situada em uma ilha afastada da civilização. Para muitos essa Abadia não passa de uma lenda, mas algumas mulheres conseguiram encontrar o caminho para esse refúgio sagrado. Na Abadia, as jovens meninas e mulheres aprendem tudo o que deveria ser ensinado desde cedo: ciências, matemática, história, filosofia e até mesmo matérias como astrologia e jardinagem.


A princípio pensei que fosse mais parecido com terra das mulheres no sentido de ser uma ficção com um toque de realidade, uma ficção que torna crível toda aquela narrativa. Mas Maresi molha os pés nas águas de um mundo de fantasia com elementos mágicos. Me lembrou um pouco do Hogwarts por conta das aulas e disciplinas voltadas para a realidade e o mundo que essas meninas vivem. Uma cena com um pássaro, inclusive, me lembrou bastante da icônica cena do nosso bruxo favorito com a fênix.

Existe toda uma mitologia por trás do contexto da Abadia Vermelha e da sociedade criada por essas meninas e mulheres. Um aspecto interessantíssimo é, inclusive, as três figuras femininas que representam três idades, fases da vida: a Donzela, a Mãe e a Velha. Nesse contexto, a autora aborda a questão da morte de maneira muito inteligente e peculiar, assim como a relação da mulher com ela mesma e com sua missão no mundo.

"Eu nunca me senti segura do chamado da Velha, mas à noite era pior. Era então que a escuridão apertava o meu peito e eu ouvia a última respiração engasgada de Anner repetidamente. O reino da Morte parecia tão próximo e as minhas próprias batidas do coração pareciam tão irregulares e fracas. Como eu poderia resistir à vontade da Velha? Como eu poderia me manter longe da porta?" Página 97


Confesso que comecei Maresi um tanto quanto perdida porque a narradora já está inserida no mundo em questão. Quando começamos uma leitura de um mundo fantástico, muitas vezes somos conduzidos por protagonistas que estão descobrindo o mundo tanto quanto o leitor. Percebemos isso em Harry Potter, por exemplo. Em Maresi a protagonista já vive naquele mundo e está relatando acontecimentos passados, então muitas vezes as explicações são feitas depois de um tempo. É preciso que chegue Jai, outra personagem, essa sim bem à parte da Abadia, para que a narradora explique o funcionamento desse mundo novo, de todo o complexo e rotina da Abadia.

O desenvolvimento na narrativa é bem simples, sem descrições excessivas ou tentativas de fazer crescer o enredo mais do que o necessário. Maria Turtschaninoff traz uma história objetiva, sem perder a delicadeza e intensidade da narrativa, e personagens bem construídos em um curto espaço de tempo. Existem elementos de magia que são jogados para que o leitor se sinta tão imerso nos acontecimentos quanto Maresi, a protagonista.


A autora também levanta a questão do conhecimento como ferramenta de poder ao mesmo tempo em que mescla elementos ficcionais com metáforas para o empoderamento e libertação femininos. Além disso, faz referências ao sagrado feminino. Tanto na forma das mulheres tratarem umas às outras quanto nos ritos e celebrações.

É um livro delicado em cada detalhe, tanto na ambientação, quanto na construção da personalidade de cada uma das personagens, principalmente de Maresi, a protagonista.

Adoraria ter lido Maresi quando era mais nova, da mesma forma como várias pessoas da minha idade leram Harry Potter, Percy Jackson e outras histórias fantásticas que marcaram época. Acredito que Maresi seja uma leitura perfeita para presentear jovens leitoras, que encontrarão na literatura uma forma de dar sustentação às suas crenças e de dar asas aos seus sonhos.

"Eu estava preta por diversos pares de garras que, embora afiadas, não me machucaram. Eu perdi a conta de quantos pássaros havia e fiquei completamente parada debaixo do peso de todos eles até, de repente, o peso desaparecer. Eu estava voando." Página 148


Maresi pode ser considerada uma leitura feminista, mesmo que não faça uso de narrativas e expressões militantes. Com sutileza, Maria Turtschaninoff, insere elementos da feminilidade, questionamentos a respeito do patriarcalismo, aborda a união das mulheres como elemento fundamental para a sobrevivência, exalta a sabedoria feminina e homenageia a capacidade de superação das mulheres.

É uma sociedade construída na base da união entre as mulheres. Acredito que se eu tivesse que indicar uma ficção que representasse bem o sentido de sororidade, escolheria Maresi . É um livro que se remete bastante à Terra das Mulheres ao pensarmos em toda a sociedade construída e mantida à base da sororidade dessas noviças e mulheres.


É um livro bem fácil e rápido de ler, poucas horas são necessárias para devorar as páginas de Maresi . A narrativa em primeira pessoa ajuda o leitor a entender melhor o fluxo de pensamentos da protagonista, muitos diálogos e a própria contextualização mais enxuta ajudam a dar dinamicidade e fluidez para a leitura. É um daqueles livros divertidos e leves para se ler numa tarde.

Fiquei curiosa para conferir a continuação do livro, Naondel, a escrita da autora me encantou e adoraria saber o que acontece tanto com Maresi , quanto com as demandas meninas e mulheres da Abadia Vermelha.

Recomendo Maresi para todos aqueles que querem aumentar suas leituras feministas e para quem gosta de ler histórias de ficção muito bem escritas, com desenvolvimento rápido e bastante envolventes. Maresi é um livro extremamente fácil de se encantar e tenho certeza de que sentirei o mesmo com Naondel, o próximo volume da série.

Gostou da resenha e quer conhecer outra ficção com temática feminista? Então conheça o livro As Horas Vermelhas!

"Este é o lugar mais querido para mim na Terra. Eu não posso pensar em nada mais maravilhoso do que passar minha vida inteira aqui estudando e lendo e ensinando." Página 178


E se você quiser ficar por dentro de tudo que rola aqui no Nostalgia Cinza em primeira mão e de um jeito bem simples e objetivo? Então assine a newsletter! Prometo não encher sua caixa de entrada e ainda mandar conteúdos bem legais ;)

You May Also Like

0 comentários