Resenha: Relatos de um gato viajante

by - 13:54


Quando recebi Relatos de um gato viajante em parceria com a Companhia das Letras no ano passado fiquei logo curiosa para saber do que se trata. Além da linda capa, a premissa de uma história de aventura narrada por um gato me pareceu bem tentadora. Decidi colocar o livro na minha lista de 12 livros para ler em 2018 e posso dizer que fiz a escolha certa.

Quer saber um pouco mais sobre essa narrativa doce e encantadora? Então confira a resenha de Relatos de um gato viajante:

"O gato Nana está viajando pelo Japão. Ele não sabe muito bem para onde está indo ou por que, mas ele está sentado no banco da van prata de Satoru, seu dono. Lado a lado, eles cruzam o país para visitar velhos amigos. O fazendeiro durão que acredita que gatos só servem para caçar ratos, o simpático casal dono de uma pousada que aceita animais, e o marido abandonado pela esposa que ama animais. Mas qual é o motivo dessa viagem? E por que todos estão tão interessados em Nana e Satoru? Ninguém sabe muito bem o que está acontecendo e Satoru não diz nada, mas quando Nana descobrir o motivo da viagem, seu pequeno coração passará por uma das mais difíceis provas de suas sete vidas. Narrado em vozes alternadas, esse romance emocionante e divertido nos mostra um jovem de grande coração e um narrador-gato muito esperto, numa amizade que desafia as fronteiras de um país e da própria vida."

FICHA TÉCNICA
Título: Relatos de um gato viajante
Autora: Hiro Arikawa
Ano: 2017
Páginas: 256
Idioma: Português 
Editora: Alfaguara (Companhia das Letras)
Nota: 4/5
Compre: Amazon
Comprando por esse link você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza
LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA



Relatos de um gato viajante é um daqueles livros que te pegam de surpresa e te levam por um caminho inesperado. O que a princípio me parecia uma história das impressões de um gato sobre o mundo, se tornou uma narrativa de companheirismo e amizade entre um homem e seu felino favorito. O livro é uma leitura doce, simples e divertida com um toque de sentimentalismo. 

A história narra o percurso de Satoru, protagonista, na busca por alguém que pudesse ficar com Nana, seu gato, já que, por um motivo desconhecido para o leitor até o final do livro, ele não pode ficar com o gato. Satoru percorre o caminho do seu passado e, a medida que vamos lendo, percebemos que ele refaz o mesmo caminho anos depois de tê-lo percorrido em busca do gato anterior, que ele também precisou abrir mão quando criança. 

“Ei, Satoru.
Desde que a gente partiu, eu já conheci duas cidades onde você cresceu. Já conheci uma vila de agricultores. Conheci o mar.
O que mais a gente vai ver até o fim desta viagem?” Página 102



Nana não é um gato viajante porque vai de um lugar para o outro com Satoru, o que acontece, mas sim porque ele, como ouvinte, faz os amigos de seu dono viajarem no tempo por suas memórias e acontecimentos que os definiram de forma irreversível para que eles pudessem, hoje, fazer algo a respeito.

É como se a cada visita Nana ajudasse as pessoas a se libertarem de seu passado pelo simples fato de ele estar ali com Satoru, mesmo que ele não seja adotado por nenhuma delas. Ele faz uma viagem pelas cidades em que Satoru cresceu ou passou uma parte relevante de sua vida. É como se a viagem de Nana fosse a viagem pela vida de Satoru. A presença de Satoru na vida de seus amigos causou alguma mudança e a sua volta, mesmo que momentânea, causa mais mudanças. A cada destino visitado, Satoru e Nana ajudam a concluir um capítulo da vida de Satoru, não deixando nenhuma ponta solta.

Ao longo do livro somos confrontados com o fato de não saber o verdadeiro motivo de Satoru querer se desfazer de Nana quando é possível perceber o amor e o cuidado que ele sente pelo gato. O ponto mais alto da leitura é a forma como os dois se relacionam cada um à sua maneira, quem tem um bichinho em casa com certeza vai se identificar com essa amizade encantadora.


“Quantos gatos do Japão já viram o monte Fuji? Não devem ser muitos, fora os que moram aqui por perto.
Essa nossa van prata é um carro mágico! Sempre que entro aqui, vou parar em algum lugar que nunca vi.
Somos o humano viajante e o gato viajante mais incríveis do mundo. Com certeza.” Página 111



A construção da narrativa é toda redondinha, Hiro Arikawa consegue desenvolver um enredo com histórias paralelas tão interessantes e bem estruturadas quanto as dos protagonistas. A narrativa é alternada entre os pensamentos de Nana, em primeira pessoa, e os de Satoru e seus amigos, em terceira pessoa. A escolha de Hiro por priorizar a narrativa de Nana é uma forma interessante de mostrar o gato como uma presença onisciente na narrativa, o que o coloca em um plano diferente dos demais personagens.

Relatos de um gato viajante é um livro leve e bom para curar uma ressaca literária. A personalidade de Nana se destaca, a relação entre o gato e seu dono e até mesmo os pequenos dilemas pessoais dos personagens coadjuvantes colaboram para a construção de uma história doce e encantadora. 

Gostou da resenha e quer conhecer outro livro envolvendo animais? Então confira a resenha de Só os animais salvam!

“Finalmente você falou a verdade.
Eu sempre soube que era isso que você queria.
Eu se que, mesmo dizendo que precisava se desfazer de mim e se esforçando para achar um novo dono, sempre que um encontro dava errado você ficava aliviado.
Para os pretendentes você falava ‘puxa, que pena’, mas no carro, indo embora, eu via sua carinha de satisfação. Como eu poderia ir para algum lugar, depois de ver isso?
Não vou deixar você sozinho de jeito nenhum.” Página 157



Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

You May Also Like

16 comentários

  1. Quem não ama livros quando se tem essa coisa de humano e animal de estimação? Claro que se for uma história feliz, porque se for triste eu já sou de chorar demais. Mas não tinha visto uma questão com gato porque eles são mais independentes. Gostei deste livro mas não sei se leria pela trama.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá! Quando vi esse livro pela primeira vez, pensei, mais um livro com bicho, justo com gato, pra me fazer chorar. E depois desta resenha tenho certeza! Parece ser uma história leve e cheia de sentimentos, narrada pelo ponto de vista do bichano, e cheia de paisagens e personagens marcantes.
    Quero fazer essa leitura por ser uma história leve e delicada, e por ter um gatinho como protagonista! Amei!


    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Laura, tudo bem? Adorei sua dica porque eu não conhecia a obra. Geralmente eu gosto de narrativas japonesas, as experiências que tive foram bem positivas. Temas com amizade e companheirismo tb sempre em chamam atenção. Quero conferir!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  5. Heiii, tudo bem?
    Já tinha visto esse livro e fiquei me perguntando do que se trata o livro e que bom que conheci aqui.
    Adorei demais e vou aceitar a sua dica pra tirar daquela ressaca literária.
    Relatos de um gato viajante tem uma capa fofa e to amando livros de autores asiáticos.
    Otima dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  6. Olá! Amei sua resenha e me despertou uma curiosidade pela obra, apesar
    de andar em outra vibe de leituras. Sua resenha está bem descrita nos pontos certos e vou anotar a dica. Inclusive essa capa está linda!
    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito de ler livros com essa premissa, mas os que li me emocionaram, então não dispenso esse sentimentalismo que mencionou ter no livro. Fiquei curiosa para saber o motivo de Satoru querer se desfazer de Nana, pois parece um felino tão especial, então anoto a recomendação, mesmo que seja para curar uma ressaca literária.

    Abraços.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Que bom que esse livro é indicado para quem está com ressaca. Eu estou nessa situação agora, mas torcendo para sair. Não costumo gostar muito de obras que envolvam gatos, mas esse livro parece estar leve demais e encantador também. Achei muito legal o livro ser redondinho, isso significa que foi escrito com cuidado.
    Vou anotar a dica.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Quero ler esse livro! Nunca li nada do tipo, em que a presença do animal como personagem principal fosse tão forte. Sou apaixonada pelos animais e atualmente tenho uma gatinha que é minha filha, o amor da minha vida. Tive outros gatos ao longo da minha vida, mas os perdi. :( Uma dor que não passa. Os anos podem passar, a minha gatinha pode me alegrar e me provocar tanto amor, mas nunca, nunca mesmo esquecerei os que perdi. Os amarei para sempre.

    Se tiver uma oportunidade com certeza lerei essa história!

    Bjs!

    ResponderExcluir
  10. Só de ler a sua resenha, já estou morrendo de curiosidade pra saber o motivo pelo qual ela não pode ficar com o gato. Acho que isso já me consumiria para ler o livro em um único dia. Ainda não tinha ouvido falar do livro, mas já quero ler hoje.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Adorei sua resenha, mesmo não conseguindo ler livros com essa mescla de animais com humanos, fiquei com a impressão de uma trama bem construída e delicada.
    Fico contente que tenha sido uma leitura extremamente agradável pra ti.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  12. Oie!

    Amei essa dica, eu sou apaixonada por gatos e tenho certeza que no momento que eu colocar as mãos nessa obra irei devorar ela em uma sentada! Eu já tinha ouvido falar dessa obra, mas nunca tinha lido uma resenha sobre, com a sua so me deixou com mais vontade ainda de ler!

    Bjss

    ResponderExcluir
  13. Aiii que dó elee querer se desfazer go gatíneo! Fiquei curiosa, já que ele ama o bichinho. Mas não leria o livro, apesar de achar bem legal o fato de abordar a amizade e o companheirismo entre os dois. Eu não leria só porque não gosto de histórias com bichos... mas amo bichos! Vai entender! Ahahhaha

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Que linda a sua resenha, conheci esse livro pelo seu post e já fiquei encantada com ele. Eu amo gatos, e o dessa história me parece ser um gatinho muito especial pela sua resenha (apaixonei pela capa).

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bom?

    Ainda não conhecia a obra ou a autora, mas fiquei encantada com a sua resenha. Mas que uma história sobre um gato viajante, é sobre o passado, é sobre vários aspectos da vida de uma pessoa e revisitar o passado. Fiquei bem curiosa sobre o motivo da Satoru não poder ficar com a Nana e como a história se desenrola a partir daí. Eu, apesar de gostar de gatos, não tenho nenhum, mas sei que ficarei fascinada com a obra. Vou ler, com certeza <3

    Enfim, adorei a postagem e agradeço a indicação :)
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Oiii tudo bem??

    Que livro lindo tocante, mas que angustia ele querer se desfazer do gato, meu coração doi so de pensar. Eu querendo ter mais, e ele se desfazendo, mesmo amando tanto.
    Fiquei com muita vontade de ler, apesar de ficar angustiada com a resenha.
    Deve ser lindo. Afinal gatos são sensacionais.
    Adorei a resenha.
    Bjus Rafa

    ResponderExcluir