Resenha: A grande saída

by - 06:41


A grande saída é um livro que chama a atenção logo de cara por abordar temas extremamente atuais e importantes para a compreensão do mundo em que vivemos. Angus Deaton, vencedor do prêmio nobel de economia, leva o leitor por uma viagem  pela realidade e contemporaneidade. Por que A grande saída é um livro riquíssimo? Leia a resenha para entender:

"Angus Deaton afirma que vivemos melhor hoje do que em qualquer outro período da história. As pessoas são mais saudáveis, mais ricas e a expectativa de vida continua a aumentar. Paradoxalmente, o fato de tantos indivíduos terem conseguido escapar da pobreza também gerou desigualdades; e a disparidade entre países desenvolvidos e em desenvolvimento se estreitou, mas não desapareceu.
Em A grande saída, um dos maiores especialistas em estudos sobre pobreza recua 250 anos para traçar a impressionante história de como diversas regiões do mundo vivenciaram um progresso significativo e, assim, abriram abismos que levaram ao cenário extremamente desigual de hoje. O estudo aprofunda-se nos padrões históricos e atuais por trás das nações ricas e com boas condições de saúde, e aborda o que é preciso fazer para ajudar os países que ficaram para trás.
Deaton descreve as vastas inovações e os retrocessos penosos para o bem-estar. De um lado, há a eficácia dos antibióticos, o controle de epidemias, vacinação e água tratada; do outro, é preciso enfrentar a calamidade da fome e a epidemia da aids. O economista analisa o caso dos Estados Unidos, uma nação bastante próspera por décadas, mas que hoje vivencia um aumento progressivo da desigualdade, e examina como o crescimento econômico da Índia e da China aprimorou a qualidade de vida de mais de um bilhão de pessoas. Para ele, a ajuda internacional tem se mostrado ineficaz e até mesmo prejudicial, e seria preciso investir em esforços alternativos que permitam de fato que os países em desenvolvimento encontrem sua grande saída da pobreza.
A distribuição de riqueza não é equitativa nem proporcional. Está na mão das nações inverter as disparidades, de modo a abrir caminho para que outros também tenham acesso à riqueza e à saúde. Um poderoso guia que visa ao bem-estar de todas as nações, A grande saída demonstra como as mudanças no sistema de saúde e nos padrões materiais são capazes de transformar a vida de bilhões de pessoas."

FICHA TÉCNICA
Título: A grande saída
Autor: Angus Deaton
Ano: 2017
Páginas: 336
Idioma: Português
Editora: Intrínseca
Nota: 3/5
Compre: Amazon | Submarino | Livraria da Folha | Livraria Cultura
Comprando por esses links você ajuda e incentiva o Nostalgia Cinza
LIVRO CEDIDO EM PARCERIA COM A EDITORA


A grande saída é um livro rico em informações, denso e extremamente interessante do ponto de vista econômico. Apesar de ter pouco mais de 300 páginas, ele consegue se aprofundar em questões importantes e fornecer conteúdo de qualidade mesmo para quem não está tão familiarizado com o assunto.

O livro é dividido em três grandes partes com alguns capítulos em cada. A Parte I: Vida e morte aborda um pouco da transformação da história da humanidade até as sociedades atuais se baseando, principalmente, na questão da saúde e do bem-estar. A Parte II: Dinheiro, trabalha a questão da riqueza, do PIB, da diferença entre países ricos e países pobres, e mostra um pouco como a humanidade enriqueceu ao longo dos séculos, principalmente dos últimos. Parte III: Ajuda, é uma das mais interessantes porque engloba todos os assuntos tratados anteriormente e propõem algumas soluções teóricas e contextualizações a respeito da atual conjuntura internacional dentro do tema da desigualdade social.

"Este livro trata da eterna dança entre progresso e desigualdade, de como o progresso gera desigualdade pode às vezes ser útil - ao mostrar caminhos ou proporcionar incentivos para que as pessoas os alcancem -, e às vezes danosa, quando aqueles que encontraram a saída escondem o caminho das pedras erguendo barreiras por onde passam. Essa é uma história que já foi contada muitas vezes, mas quero conta-la de um jeito diferente."

E um livro bem interessante do ponto de vista da saúde humana. Angus trabalha em grande parte do livro a questão da saúde como fator de bem-estar e de desigualdade. Usando dados dos mais diversos países, ele apresenta estatísticas mescladas com pequenas contextualizações histórias que são base para seus argumentos e posicionamentos. Ele mostra como alguns avanços na saúde estão relacionados com a evolução humana e com o passar do tempo dos homens.



O autor também trabalha de forma aprofundado a noção e o conceito de bem-estar em uma sociedade. Ele apresenta todo um embasamento teórico e estatístico que mostra como a noção de desigualdade precisa englobar mais conceitos do que apenas riqueza e mortalidade. Isso mostra e explica um pouco as desigualdades presentes não em nações diferentes, mas em parcelas de uma mesma sociedade.

Ele se prende mais aos dados e suas análises do que a conclusões sobre os mesmos. Por isso muitas vezes temos a sensação de que estamos lendo informações repetidas ou redundantes apesar de estarmos sendo apresentados a dados diferentes.

Achei que, apesar de ter sido escrito por um economista, o livro seria mais argumentado com base em contextualizações históricas, e que teria uma narrativa mais fluida. Entretanto, ele é repleto de dados e, principalmente, gráficos dão força à argumentação. O primeiro capitulo se estende por várias paginas sobre a relação entre renda e felicidade. Ou seja, se as pessoas realmente se tornam mais felizes à medida que vão ganhando mais dinheiro e enriquecendo. São dados interessantes mas que poderiam ter sido resumidos de forma bem mais breve. O capítulo vai se estendendo muito e a sensação é de que lemos a mesma coisa várias vezes repetidamente.

"Não se deve esperar que esses progressos ocorram em todos os lugares, ou que sejam ininterruptos. Coisas ruins acontece; novas fugas, como as do passado, trarão novas desigualdades. Apesar de tudo, minha expectativa é a de que os reveses sejam superados no futuro como foram no passado."

Não é uma leitura daquelas gostosas, para deitar no sofá e relaxar tomando um chá. É um livro denso, cheio de informações e que precisa de um tempo para poder assimilar tudo. É uma ótima fonte de consulta para pesquisas na área visto que o autor é vencedor do prêmio Nobel de economia. Ele tem muito embasamento para sustentar seus argumentos e ele expõem lados da forma mais imparcial possível. Apresenta posicionamentos diferentes, dados que se chocam, pesquisas controversas.

Não é uma leitura tranquila no sentido de ler rapidamente ou devorar o livro. A linguagem é simples pouco complexa, entretanto, por se tratar de assuntos complicados e muito profundos, não é uma leitura fácil. Passar as páginas não é tão fluido ou dinâmico e a quantidade de informações torna necessário voltar e ler mais uma vez algumas frases, parágrafos, gráficos e até mesmo algumas páginas. Não é um livro recomendado para o leitor comum e sim para aqueles que se interessam pelo assunto e gostariam de entender um pouco mais sobre o cenário internacional principalmente no que diz respeito à economia mundial.

Angus constrói uma linha de pensamento muito boa de se acompanhar. Cada subitem tem relação com o anterior e prepara o terreno para os assuntos que serão abordados no próximo. Cada capítulo é pensado para dar sequência a uma base de argumentação bem pensada e trabalhada afundo. O autor conseguiu escrever um bom livro teórico a respeito do tema da saúde e da riqueza como cantores de desigualdade entre sociedades e, principalmente, entre nações.


A grande saída é uma ótima referência para entender conjuntura internacional e ter algumas respostas para perguntas "bobas", mas que fazem muito sentindo como: "se todo mundo doasse um dólar daria para acabar com a pobreza no mundo?". Angus faz um panorama mundial envolvendo saúde, riqueza e desigualdade para analisar as relações entre os países mais ricos e os mais pobres do globo e pensar como isso afeta o cenário internacional tanto no sentido social quanto político e econômico.

Se você gostou da resenha e quer conhecer mais um livro incrível publicado pela Intrínseca, confira a resenha de A sutil arte de ligar o foda-se!

"Na hora de fugir, sempre há aqueles que ficam para trás, e a sorte sopra para alguns e não para outros; ela cria oportunidade, mas nem todos estão preparados ou determinados a aproveitar. O resultado disso é que a história do progresso é também a história da desigualdade."


Quer ficar por dentro de todos os posts do Nostalgia Cinza? Então assine a newsletter! É só colocar seu email, prometo não encher sua caixa de entrada <3

You May Also Like

6 comentários

  1. Oi Laura!
    Não conhecia o livro, mas fiquei bem interessada no assunto, como contadora por formação, esses são temas que muito me interessam. Amei a resenha, dica anotada!

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Kelly!! Fico muito feliz que tenha gostado e se interessado <3

      Excluir
  2. Olá, Laura!

    Apesar de não me interessar por economia, sua resenha me deu a ideia de que o livro possui grande conteúdo histórico, daí eu ter me interessado em lê-lo. Amo História da humanidade e assuntos como desigualdade e desenvolvimento despertam meu interesse. E quando pensamos em riqueza, desenvolvimento que gera desigualdade, por mais avançados que alguns países sejam, dá para se pensar também no aumento da violência, que é um resultado da desigualdade social e econômica das pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luna! Sim, é um livro bastante relacionado a história, acho que você vai gostar mesmo não sendo tão interessada em economia! <3

      Excluir
  3. Ola, eu não conhecia o livro ele me parece ser bastante interessante para quem se interessa por esse assunto. Mais esse livro não é para mim eu passo essa dica

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    Tudo bom?
    Eu não conhecia o livro, mas mesmo você tendo gostado da leitura não me senti inclinada a ler.
    Gostei muito da sua resenha.
    Beijos

    ResponderExcluir